DIOGO VIDEIRA

No tormentoso inverno de 1995 nasceu do Mondego um homem. Deve o seu nome à lenda que dá nome ao rio a que chama casa, ao célebre cavaleiro D. Diego por quem as ninfas choravam, “Mon Diego, Mon Diego” e ao Deus Baco. Diogo Videira é um homem diferente dos outros. Diferente em ideais, mentalidade e estatura. Os oceanos por que a sua mente navega e o rio que o viu nascer sempre ou souberam destinado a grandes conquistas e a encontrar novas praias terras e horizontes. Talvez devido ao seu tardio nascimento e às tempestades de Dezembro, este homem do Mondego cedo olhou para o Mar do Debate Competitivo como um dos seus campos de guerra predileto.

Correu praias e lutou contra marés e monstros do DCU, desde o Mondego sua casa, navegou já no Tejo, Douro e Cávado em Portugal e fora deste nos tormentosos Sena, Danúbio e Vistula. Destas viagens tem as cicatrizes para o recordar dos feitos e aprendizagens. E o moço fez-se Oficial.

Veterano de muitas batalhas aceitou o convite de Capitanear a Nau Santa Equity Team na Armada do Tornadu 2017. O lema desta será: “Unbowed, unbent, unbroken” e promete imparcialidade, independência e justiça. Boa sorte a todos os aspirantes de marinheiro sedentos de conquistas!